Posts com a Tag ‘Porto Alegre’

Brasília, 17 de fevereiro de 1960

Escrito por mariana em . Postado em Linha do Tempo Sem Comentários

Caravana de Integração Nacional – O Coronel-Aviador Lino Romualdo Teixeira, sub-chefe do Gabinete Militar da Presidência da República e o Senhor Waldir Bouhid, Superintendente do Plano de Valorização Econômica da Amazônia, que chefiaram a Coluna Norte, da Caravana de Integração Nacional, enviam ao Presidente Juscelino Kubitschek de Porto Alegre, o seguinte telegrama:
“Comunicamos ao eminente Presidente que a Coluna Norte da Caravana de Integração Nacional acaba de completar a última etapa de sua vitoriosa caminhada. Partindo de Belém e tendo como objetivo inicial atingir Brasília, a Coluna, após memorável encontro com V. Excia, na nova Capital, prosseguiu viagem até o Rio de Janeiro, estendendo-a ao Rio Grande do Sul, a cuja capital chegou às 18 horas de ontem, depois de cruzar os Estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. A Coluna Norte, com esta travessia histórica, realizou uma viagem de verdadeira integração nacional, percorrendo todo o Brasil, de Norte a Sul, em rodovias construídas por engenheiros e trabalhadores brasileiros, numa extensão de mais de cinco mil quilômetros, em veículos de fabricação nacional, concretizando duas metas importantes do seu dinâmico e patriótico Governo – a rodoviária e a automobilística. A Coluna Norte da Caravana foi recebida em Porto Alegre pelo governador Leonel Brizola e pelo prefeito Loureiro da Silva, nos palácios do Governo e da Prefeitura, sendo saudada por ambos, que ressaltaram a obra governamental de Vossa Excelência e a sua grande repercussão econômica e social, em todo o país. O povo gaúcho encheu as ruas e avenidas que constavam do trajeto da caravana em Porto Alegre e aclamou, com vibração e entusiasmo, o nome do Presidente que promoveu a unificação física do Brasil, através do seu programa de governo.”

Reunião ministerial – A fim de tratar da mudança do Governo para Brasília realiza-se, pela manhã, no Palácio do Catete, uma reunião entre os Ministros de Estado, os chefes dos Gabinetes Militar e Civil da Presidência da República, o Presidente do Banco do Brasil, o Diretor Geral do DASP e o secretário do Grupo de Trabalho para a mudança da Capital para Brasília.
No decorrer da reunião, as autoridades demonstram perfeita coesão e identidade de pontos de vista no que diz respeito à mudança da Capital para Brasília na data legalmente fixada, estando todos os Ministérios em condições de se instalarem na nova Capital, no próximo dia 21 de abril, sem qualquer modificação do programa estabelecido. Externam os Ministros de Estado disposição de enfrentar qualquer resistência à mudança, não considerando, de forma alguma, qualquer cogitação de adiamento.
O chefe do Gabinete Civil transmite, na ocasião, a recomendação do Presidente da República ao Ministro da Fazenda no sentido de que colocasse à disposição do Grupo de Trabalho todos os recursos necessários à mudança dos Ministérios. Fica esclarecido que todos os Ministérios já aprontaram a relação dos funcionários que seguirão inicialmente para Brasília. Semanalmente haverá uma reunião ministerial com o objetivo de continuar o planejamento e a execução da mudança do pessoal remanescente. O contato entre o Governo instalado em Brasília e as repartições que permanecerem no Rio até a completa mudança ficará a cargo do Ministério da Aeronáutica, que organizará um serviço para o transporte, diariamente, de dois funcionários de cada Ministério, até um total de quarenta pessoas, que servirão de elementos de ligação.
O Presidente do Banco do Brasil reafirma que, no dia 21 de abril, aquele estabelecimento estará instalado em Brasília, com os respectivos diretores e uma equipe de funcionários, em pleno trabalho.
O titular da Agricultura adianta que, no dia 20 de março próximo, o Ministério estará instalado em Brasília. Todas as providências para o abastecimento já foram tomadas para que o mesmo se apresente em condições normais no dia 21 de abril.
O Ministro da Educação faz um relato sobre os trabalhos realizados a fim de que, ao se efetuar a mudança do Governo, sejam asseguradas as matrículas que se fizerem necessárias ao ensino primário e secundário, em Brasília. Os professores para o ensino primário e secundário estão sendo devidamente selecionados. Com esse objetivo foi aberta uma inscrição para o aproveitamento de cem professores, que servirão na Nova Capital, tendo se apresentado um total de mil e quinhentos candidatos.
Fica assentado que, diariamente, cada Ministério divulgará, através da Agência Nacional, o andamento dos trabalhos relativos à mudança de seu pessoal e de seus serviços.
Adianta o Ministro da Viação que, no dia 20 de abril, estarão em funcionamento 120 canais de micro-ondas, solucionando o problema das comunicações entre Brasília e o Rio.
No dia 25 de março, conforme resolvido, seguirá para Brasília a primeira turma de funcionários da Presidência da República que servirão na Nova Capital. No dia 22 de abril, o Palácio do Catete estará fechado.
O Ministério das Relações Exteriores, que requer condições especiais para seu funcionamento, será instalado, provisoriamente, no edifício do Ministério da Saúde, ocupando quatro pavimentos do mesmo.
O General Nelson de Melo informa que o Marechal Odílio Denys não pudera comparecer, mas que o incumbira de adiantar aos presentes que o Ministério da Guerra está em condições para se transferir para Brasília no dia 21 de abril.

Serviço telefônico – O Departamento de Telefones Urbanos e Interurbanos acaba de instalar, em caráter experimental, doze canais telefônicos de ondas curtas. O sistema utilizado, posto em funcionamento em tempo recorde, facultará a Brasília comunicar-se como todo o país através de telefonemas por onda curta. No momento, a cidade dispõe de 225 aparelhos telefônicos automáticos, com rede aérea provisória, mas está programada para breve a instalação de 5 mil linhas com capacidade para 6.500 telefones, sendo de se ressaltar que nesse trabalho será empregado o equipamento mais moderno do mundo, tipo “cross-bar” E, para futuro próximo, está programada a instalação, no Plano Piloto, de 200 mil aparelhos. Para comunicações com o Rio, São Paulo e Belo Horizonte, será usado o processo de micro-ondas, que difere daquele agora instalado.

 

A caranava de integração nacional atravessou o país de norte à sul, desde Belém, passando por Brasília e Rio de Janeiro, até o Rio Grande do Sul, para celebrar a unificação física do território nacional. Mas a concepção da cidade, embora rápida, exigiu o empenho e trabalho árduo de muita gente, desde eminentes políticos aos mais humildes trabalhadores. Na imagem, Oscar Niemeyer e Lucio Costa discutem o planejamento arquitetônico da nova capital (Foto: Arquivo Público do DF)

Brasília, 15 de fevereiro de 1960

Escrito por mariana em . Postado em Linha do Tempo Sem Comentários

Caravana de Integração Nacional – Partindo de Vacaria, a Coluna Norte da Caravana alcança o ponto final de sua jornada, Porto Alegre, completando, assim, a ligação terrestre entre a capital gaúcha e Belém do Pará, via Brasília, num percurso total de mais de cinco mil quilômetros, assim divididos: de Belém a Brasília, pela rodovia Bernardo Sayão, 2.250 quilômetros; de Brasília ao Rio de Janeiro, 1.200 quilômetros; do Rio de Janeiro a São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, mais de 1.600 quilômetros. Os veículos brasileiros utilizados pela Coluna Norte, e que chegam a Porto Alegre às 17h e 30m, são em número de sessenta.

Hospital Distrital – Os jornais anunciam que, em 21 de abril de 1960, Brasília poderá contar com todos os serviços em pleno funcionamento, do seu Hospital Distrital, que se ergue entre a Praça dos Três Poderes e a Asa Norte, na zona hospitalar do Plano-Piloto. Formado por cinco blocos, o Hospital Distrital será dotado de todos os mais modernos requisitos para o perfeito cumprimento de sua finalidade.
Seus cinco blocos ocuparão uma área de 32 mil metros quadrados. O bloco A terá 12 pavimentos, com 80 metros de frente por 16 de largura; o bloco B compreenderá: enfermaria, isolamento, administração, pronto-socorro, centro cirúrgico e ambulatório; o bloco C será o dos consultórios médicos; o D se destinará aos serviços mecânicos (tratamento d’água, caldeira, instalações de vapor, estação de força de emergência): finalmente, no bloco E se localizará a rotunda, ou seja uma estação de tratamento de gases. À exceção do primeiro, todos os blocos terão apenas um pavimento.
As dependências do ambulatório, do pronto-socorro e do centro cirúrgico serão dotadas de ar refrigerado. Entre outros modernos equipamentos, o Hospital Distrital de Brasília terá: central de oxigênio, com tomadas em todas as enfermarias; controle de pressão automático, comutado com a central telefônica urbana; correio pneumático; central de filtragem de água e central de fornecimento de vapor, para esterilização de instrumentos.

Congresso Nacional – No plano de construção dos edifícios do Congresso Nacional em Brasília, imprime-se ritmo mais acelerado às unidades para o Senado e a Câmara. Dentro em poucos dias poderá iniciar-se o ajardinamento do local.

Lago de Brasília – Em Brasília, desperta grande interesse a chegada de cinco lanchas, que serão postas à venda por uma firma estabelecida no Núcleo Bandeirante. Com essas lanchas, que vieram por via aérea e que, certamente, em pouco, estarão sendo utilizadas no Lago Artificial, chegaram vários tipos de materiais náuticos, como esquis, salva-vidas, âncoras, bóias e motores especiais para a tração de esquis. A propósito, mencione-se que se encontra em organização o Iate Clube de Brasília.

Parque Desportivo – Iniciam-se as obras de construção e preparo de um parque desportivo para os habitantes da Asa Sul do Plano Piloto, no Eixo Rodoviário, parque completo, com piscina para crianças e play-ground.

Governador do Amazonas – O Presidente Juscelino Kubitschek recebe do Senhor Gilberto Mestrinho, Governador do Estado do Amazonas, o seguinte telegrama:
“Ainda sob a impressão maravilhosa que me deixou esse monumento arquitetônico gigantesco que é Brasília, fruto do governo ciclópico e grandemente patriótico de Vossa Excelência, quero expressar-lhe o meu profundo agradecimento, não só pelo magnífico tratamento que houve por bem dispensar-me e aos demais membros da minha comitiva, como também pelo carinho com que foram solucionados vários problemas de vulto desta unidade federativa, permitindo desse modo que o Amazonas possa ressurgir do ocaso em que durante muito tempo esteve mergulhado, para resplandecer em progresso entre os mais futurosos pedaços da grande Nação brasileira.
Transmitindo a Vossa Excelência, como amazonense e como dirigente deste Estado, a imensa gratidão do povo de minha terra, sinto-me honrado em mais uma vez assegurar-lhe a minha admiração, meu respeito e mui elevada consideração.”

Rodovia Belo Horizonte-Brasília – A imprensa divulga que já se encontram concluídas e em condições de utilização todas as obras de arte da rodovia Belo Horizonte-Brasília.
O serviço foi dado como terminado com a conclusão dos serviços de construção da ponte sobre o rio São Francisco, com 360 metros de comprimento, no valor total de
Cr$ 80.377.591,40. A sua entrega ao tráfego poderá ser feita a partir do próximo dia 20.

 

A nova capital trouxe, conforme prometido pelo presidente JK, progresso e desenvolvimento ao país, em especial à região central, anteriormente esquecida. Estradas de ligação entre importantes cidades e locais remotos passaram a cruzar o Brasil de ponta a ponta. Dentre as construções da época, pode-se citar a rodovia Belém-Brasília, cujo processo de concepção gerou intensa mobilização populacional, como mostra a imagem (Foto: Arquivo Público do DF)

Brasília, 22 de janeiro de 1960

Escrito por mariana em . Postado em Linha do Tempo Sem Comentários

Caravana de Integração Nacional – A imprensa noticia que, no próximo dia 2 de fevereiro, o Presidente Juscelino Kubitschek assistirá, acompanhado de seu Ministério, do Palácio do Planalto, a entrada, na Praça dos Três Poderes, em Brasília, da Caravana de Integração Nacional, constituída pelas colunas Norte, Sul, Leste e Oeste, tendo à frente dos Governadores dos Estados a serem pelas mesmas percorridos.

A Caravana, partindo, com sua diferentes colunass, de Belém, Porto Alegre, Rio e Cuiabá, convergindo sobre a nova Capital da República, oferecerá ao povo brasileiro uma visão maciça do desenvolvimento alcançado pela indústria automobilística nacional e ao mesmo tempo revelará que o sistema rodoviário brasileiro atingiu o importante objetivo de ligar umas às outras as diferentes regiões do país, integrando-as num bloco único.

A Caravana de Integração Nacional é uma idéia que partiu da indústria automobilística brasileira, com o objetivo de prestar uma homenagem ao Presidente Juscelino Kubitschek pela passagem do 4º. aniversário de seu Governo. A organização da Caravana ficou a cargo da própria Presidência da República, sendo supervisor da mesma o Coronel Aviador Lino Teixeira, Sub-chefe do Gabinete Militar, e coordenador o Major Edson Perpétuo, Ajudante de Ordens do Presidente da República. O empreendimento será realizado sem nenhum ônus para os cofres públicos, de vez que as indústrias automobilísticas contribuirão com os veículos, pessoal e demais encargos. Cada coluna será constituída por 50 viaturas, num total, portanto, de duzentas, estando compreendidos nesse número todos os tipos de veículos fabricados pela indústria automobilística nacional, que percorrerão os nossos sertões, numa demonstração do progresso alcançado por esse setor da indústria brasileira.

As Colunas da Caravana de Integração Nacional tem seus pontos de partida em Belém, Porto Alegre, Rio e Cuiabá, isto é, procederão do Norte, Sul, Leste e Oeste, concentrando-se em Brasília. Os itinerários a serem seguidos pelas mesmas serão, também, uma amostra do trabalho levado a efeito pelo Departamento Nacional de Estradas de Rodagem e pela Rodobrás, que construiu em tempo recorde muitos dos trechos a serem agora entregues ao povo brasileiro.

A Coluna Norte da Caravana de Integração Nacional, sob o comando do Coronel Lino Teixeira, deixará a 23 a cidade de Belém, no Estado do Pará, a fim de cobrir o seguinte itinerário: Belém Guamá, Açailândia, Estreito (onde atravessará o rio Tocantins), Guará, Gurupi, Porangatu, Ceres, Anápolis e Brasília. A estrada, numa extensão de cerca de 2.250 quilômetros, é de terra, estando asfaltados os trechos de Belém a Guamá e de Anápolis a Brasília.

Comandada pelo Major Leopoldo Freire dos Santos, do Estado Maior do Exército, a Coluna Sul é a primeira a partir, deixando, hoje, Porto Alegre, pela manhã, atingindo à tarde a cidade de Vacaria. Daí prosseguirá viagem, passando por Rio Negro, Curitiba, onde se subdividirá em duas, seguindo uma para Capão Bonito, pela estrada da Serra, e a outra para Registro, pela estrada nova do Litoral, atingindo, as duas, São Paulo. Nessa Capital, a Coluna destacará seis veículos que se deslocarão para a BR-55, estrada “Fernão Dias”, a fim de se encontrarem em Belo Horizonte com a Coluna Leste. O grosso das viaturas da Coluna Sul prosseguirá de São Paulo para Limeira, Jaboticabal, Prata, Goiânia, Anápolis e Brasília. O itinerário a ser coberto pela Coluna Sul será de 2.300 quilômetros, dos quais 1.100 já totalmente asfaltados. A ligação de São Paulo a Belo Horizonte, pela BR-55, cobre 570 quilômetros, dos quais 400 estão pavimentados.

A Coluna Leste, comandada pelo Major Edson Perpétuo, partirá do Rio na manhã do dia 28 de janeiro corrente, da praça fronteira ao Palácio do Catete, para cobrir perto de 1.200 quilômetros com o seguinte itinerário: Juiz de Fora, Belo Horizonte, Três Marias, Cristalina e Brasília.

Desse percurso, 1.100 quilômetros já estão asfaltados, estando apenas por pavimentar cerca de cem quilômetros não consecutivos.

A partida da Coluna Leste, no próximo dia 28, do Rio, será revestida de solenidade, na praça fronteira ao Palácio do Catete. Uma banda de música executará, então, o Hino Nacional, seguindo-se uma revoada de pombos da Diretoria de Comunicações do Exército.

A Coluna Oeste, organizada pelo Governador do Estado de Mato Grosso, Sr. Ponce de Arruda, partirá de Cuiabá, no próximo dia 25, passando por Rondonópolis, Alto Araguaia, Mineiros, Jataí, Rio Verde, Goiânia, Anápolis e Brasília, num percurso de 1.300 quilômetros.

A Diretoria de Comunicações do Exército manterá ligação constante entre as diversas colunas, juntamente com a rede de rádio do DNER, da SPVEA e dos rádios-amadores do país, acompanhando-as sempre e proporcionando a todos os brasileiros informações sobre a marcha da Caravana de Integração Nacional, em seus quatro movimentos. Essas informações serão distribuídas às emissoras, aos jornais e transmitidas diariamente pela “Voz do Brasil”.

Chegando as diversas Colunas a Anápolis, no dia 1º. de fevereiro, na manhã do dia 2 chegarão a Brasília.

O Presidente Juscelino Kubitschek, acompanhado de seu Ministério e de altas autoridades, assistirá, do Palácio do Planalto, à entrada, na Praça dos Três Poderes, das Colunas da Caravana de Integração Nacional, trazendo os Governadores dos Estados. Em seguida, haverá missa em Ação de Graças, após o que será realizado um almoço de que participarão o Presidente da República, os Ministros de Estado e outras autoridades.


Leia também:

A passagem de Tom Jobim e Vinícius de Moraes pelo Catetinho

O texto de Antônio Carlos Jobim Setembro, sertão no estio. Frio seco. Altitude aproximada: 1.200 metros. Ar transparente, céu azul profundo, primavera e pássaros se namorando. Campos gerais, chapadões dos gerais. Cerrado e estirões de mata à beira dos rios.…

Alvorada de Espelhos

Alvorada de Espelhos Por Clemente Luz O imenso louva-a-deus traçado no papel, antes promessa da presença da cidade, já tem forma e base sólida no chão do planalto. No local mesmo onde a visão do profeta viu “que se formava…

Bernardo Sayão

Da morte emerges, Bernardo Sayão, e com que pureza! Assim te revemos, os que nunca te vimos, e não há em nós nenhuma surpresa. Assim te revemos, sertanejo tranqüilo, no retrato que te faz surgir num descampado, o olhar firme, …