Linha do Tempo

Quarta-feira, 6 de abril de 1960

Funcionários federais – Chegam a Brasília os primeiros sessenta funcionários federais, que deixaram o Rio de Janeiro na manhã de 4 do corrente. Como se tratou de viagem pioneira, a imprensa procurou conhecer a reação dos integrantes do grupo, que viajaram em dois ônibus modernos, da empresa vencedora da concorrência pública no Grupo de Trabalho de Brasília. Todo o roteiro anunciado foi seguido à risca e o tempo ajudou em muito aos funcionários na observação dos locais pelos quais passaram, sobressaindo o entusiasmo que experimentaram ao ver as obras gigantescas da barragem de Três Marias. Como grande parte do grupo não conhecesse ainda Belo Horizonte, a empresa proporcionou à caravana um passeio aos seus pontos pitorescos com amplas explicações por parte dos guias especializados. À chegada dos funcionários, o pessoal do Grupo de Trabalho, na nova Capital, tomou todas as providências relacionadas com suas acomodações e aparte de alimentação.

Uma particularidade que merece ser salientada é a relativa aos veículos usados, ônibus de fabricação brasileira, que se mostraram resistentes e capazes de proporcionar o máximo conforto. Os servidores puderam também observar grande parte do interior mineiro, com suas velhas cidades, como o caso de Paracatu, que ressurge por força do espírito dinâmico que Brasília imprimiu em todo o país. A empresa transportadora de funcionários federais para Brasília explicou que o sucesso da viagem pioneira está ocasionando invulgar interesse dos demais grupos que deverão seguir nos próximos dias a fim de iniciar seus trabalhos na nova sede do Governo brasileiro. Na próxima semana, outro grupo deverá seguir para o Planalto, de acordo com o plano de ação do Grupo de Trabalho de Brasília.

 

Tapete Verde – Já iniciou em Brasília a preparação do tapete verde que cobrirá toda a zona urbana da nova Capital. Em algumas áreas, realiza-se o trabalho de terraplanagem e preparação da terra para o plantio imediato de grama, enquanto se ultima esse plantio nas áreas que constituirão os jardins das casas da FCP. Os habitantes de Brasília poderão ter os seus jardins particulares, neles plantando o que lhes aprouver, sendo-lhes proibido apenas erguer cercas ou muros divisionários, para que a cidade ofereça a impressão de ser “formada por um só jardim”.

VASP – A Viação Aérea São Paulo inaugura sua nova linha São Paulo – Brasília – Fortaleza, operada com aviões tipo “Viscount”.

 

O cerrado vai, aos poucos, dando espaço ao vasto tapete verde que cobrirá a cidade. Aos moradores é permitido manter seus próprios jardins, desde que não haja cercas ou muros, a fim de manter a impressão de que a cidade é um só grande jardim. A imagem mostra a vista de blocos residenciais entre 1959 e 1960 (Foto: Arquivo Público do DF)

Trackback do seu site.

Deixe um comentário

Terça-feira, 5 de abril de 1960

Iluminação – À noite, inicia-se em Brasília a colocação de lâmpadas ao longo do Eixo Rodoviário, numa extensão de quase 4 quilômetros. A tarefa será concluída no espaço de poucas horas. De acordo com informes colhidos junto ao Departamento de Viação e Obras Públicas da NOVACAP, vai ser agora atacado o trabalho de posteamento e instalação de luz elétricas nas Avenidas Monumental, W-3 e outras vias da nova metrópole. Preparativos finais – Com a aproximação da data de transferência da Capital da República, Brasília está vivendo seus dias de mais febril atividade. Grupos de operários se revezam dia e noite, para que o trabalho não sogra a menor interrupção, e igual operosidade se observa em todos os demais setores responsáveis pela conclusão do gigantesco empreendimento. Intensificou-se, ao mesmo tempo, o movimento do aeroporto, da estação rodoviária e das estradas, com a afluência de milhares e milhares de pessoas, e, em conseqüência, as ruas da cidade apresentam uma agitação desusada, que se reflete principalmente nas casas comerciais. Fogos de artifício – As festas de 21 de abril, em Brasília, deverão oferecer espetáculos de rara beleza. Sabe-se através da Comissão Organizadora dos Festejos da mudança, que Portugal e aHolanda colaborarão para o maior brilhantismo do programa, contribuindo com fogos de artifício especialmente fabricados para a ocasião. Aquele primeiro país enviará 10 milhões em fogos, não se conhecendo ainda o montante da oferta holandesa. Assim, as primeiras horas do dia 21, em Brasília, serão assinaladas, por um dos maiores espetáculos pirotécnicos já vistos no mundo.  

Na imagem, fotos improvisadas indicam locais de comércio e serviços (Foto: Arquivo Público do DF)

Quinta-feira, 7 de abril de 1960

Comércio goiano – O Presidente da Associação Comercial de Goiás, Senhor José de Aquino Porto, revela à imprensa que a construção de Brasília já está influindo poderosamente para o progresso do comércio no Estado, citando, a propósito, que o imposto de vendas e consignações obteve, até agora, um aumento de 50 por cento. Inúmeras firmas novas estão se instalando em território goiano, enquanto as empresas já estabelecidas no Estado vem ampliando seus negócios, a fim de atenderem ao aumento da demanda. Com a efetivação da transferência da Capital – acentua – é de se esperar que a situação do comércio se torne ainda mais satisfatória. Rodovia Fortaleza-Brasília – A Comissão de Povoamento dos Eixos Rodoviários, em reunião no Ministério da Viação e Obras Públicas, decide encaminhar à consideração superior um projeto de desapropriação, amigável ou judicial, de uma faixa de 10 km ao longo da rodovia Fortaleza-Brasília e daquelas que atravessam os vales úmidos do Estado do Maranhão, BR-21 e BR-24, como medida de primeira urgência para povoamento das áreas devolutas. O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas e o Departamento Nacional de Estradas de Rodagem fornecerão as plantas necessárias à caracterização, no decreto, das faixas que serão desapropriadas. Se as faixas alcançarem terrenos de propriedade dos Estados, outros decretos serão assinados excluindo-as. As mesmas medidas serão tomadas em relação às áreas já cultivadas. Comunicações telegráficas – Em seu gabinete, o Ministro da Viação e Obras Públicas informa que o propósito do Governo é facilitar aos jornais, emissoras de rádio e correspondentes telegráficos amais rápida comunicação entre Brasília e o resto do país e do mundo. Tudo se vem fazendo no sentido de que as condições técnicas indispensáveis estejam asseguradas até a data da mudança da Capital, ou mesmo antes.  

A capital prepara-se para garantir rápida e ágil comunicação com o restante do país, tanto por meio de rodovias quanto a partir da tecnologia. Na imagem, torres de rádio enlace em microondas entre 1958 e 1960. (Foto: Arquivo Público do DF)