PRIMEIRA IMPRESSÃO DE BRASÍLIA

Escrito por Brasília Poética em . Postado em Poemas para Brasília Sem Comentários

PRIMEIRA IMPRESSÃO DE BRASÍLIA
 
Quando te conheci
Fiquei maravilhado
Era noite e parecias um pirilampo.
Tuas luzes multicores me encantaram
E lá do alto te fitei demoradamente
Imaginando o que me esperava no teu seio
Via o corolário de tua existência
Tudo desfilava diante de mim, como num filme.
Recordava os velhos mestres e suas lições
Recordava as vicissitudes e odisséias de tua origem.
Lembrei que nasceste no sonho do santo
Para ser a flor do amor e da esperança.
 
Quisera ter sido um dos teus jardineiros.
Te imagino nascendo e crescendo para o mundo
Te imagino abrigando em teu ventre a vida
Vida que será o sêmen da nova vida.
Sou apaixonado e rendido aos teus encantos
Tuas pétalas e teu néctar me seduzem.
Te adoro, minha doce menina
És a flor divina do cerrado
A flor maravilhosa do Planalto.
 
Abbas Al Mansour (Luiz Gonzaga da Rocha), poeta pernambucano, nasceu em Pesqueira.
Reproduzido do livro “Brasília: vida em poesia”, organizado por Ronaldo A. Mousinho.

 


Trackback do seu site.

Deixe um comentário


Leia também:

A passagem de Tom Jobim e Vinícius de Moraes pelo Catetinho

O texto de Antônio Carlos Jobim Setembro, sertão no estio. Frio seco. Altitude aproximada: 1.200 metros. Ar transparente, céu azul profundo, primavera e pássaros se namorando. Campos gerais, chapadões dos gerais. Cerrado e estirões de mata à beira dos rios.…

Alvorada de Espelhos

Alvorada de Espelhos Por Clemente Luz O imenso louva-a-deus traçado no papel, antes promessa da presença da cidade, já tem forma e base sólida no chão do planalto. No local mesmo onde a visão do profeta viu “que se formava…

Bernardo Sayão

Da morte emerges, Bernardo Sayão, e com que pureza! Assim te revemos, os que nunca te vimos, e não há em nós nenhuma surpresa. Assim te revemos, sertanejo tranqüilo, no retrato que te faz surgir num descampado, o olhar firme, …