Linha do Tempo

Domingo, 3 de abril de 1960

Almoço no Catetinho – Em Brasília, o Presidente Juscelino Kubitschek oferece um almoço, no Catetinho, aos operários pioneiros da construção da nova Capital do Brasil, oportunidade em que manifesta seu agradecimento a quantos contribuíram, nos primeiros dias, para o início da construção de Brasília.

Relatório da NOVACAP – A Assembléia da NOVACAP aprova o Relatório apresentado pelo Presidente da Companhia a respeito dos trabalhos realizados em 1959.

 

Acima, candango pioneiro faz pose para foto entre 1957 e 1960 na Lonalândia, acampamento improvisado localizado onde hoje se encontra a atual Candangolândia (Foto: Arquivo Público do DF)

Trackback do seu site.

Deixe um comentário

Sábado, 2 de abril de 1960

Comando Naval – O Presidente Juscelino Kubitschek cria, em decreto, o Comando Naval de Brasília. Por outro decreto é excluída da jurisdição do Primeiro Distrito Naval a área compreendia pela futura Capital Federal e delimitada pela Lei número 2.874, de 19 de setembro de 1956. Serviço telefônico – A imprensa anuncia que, na data da transferência da Capital para Brasília, no próximo dia 21, Brasília contará com um mínimo de 60 canais telefônicos, em pleno funcionamento, para suas comunicações com o país e o mundo. Presentemente, apenas 12 canais estão sendo utilizados, mas o equipamento para a ampliação do importante serviço acaba de ser ali desembarcado – transportado por via aérea – perfazendo o seu volume um total de 6 mil quilos, segundo informações prestadas por um porta-voz da NOVACAP. A ampliação de que agora se cuida é a primeira etapa do plano de instalação dos canais do empreendimento. Os equipamentos adquiridos são o que de mais moderno existe nesse campo, permitindo perfeita fonia com os locais com que se fizer ligação direta.  

Nessa altura, JK cria o Comando Naval de Brasília. No Paranoá, reserva-se espaço estratégico para localização da Marinha. Já na inauguração, em abril do mesmo ano, o lago é tomado pela população como um todo por meio de veleiros de corrida em comemoração ao surgimento da nova capital, conforme retrata a imagem (Foto: Arquivo Público do DF)

Segunda-feira, 4 de abril de 1960

Partida de funcionários – Pela manhã, partem do Rio de Janeiro para Brasília, de ônibus, os primeiros sessenta funcionários federais que decidiram seguir para Brasília por estrada de rodagem, de acordo com o plano organizado para a ida do pessoal pelo Grupo de Trabalho de Brasília. Dois ônibus são usados, da empresa que venceu a concorrência pública aberta para a prestação desse tipo de serviço. Visando organizar um roteiro prático e de interesse para os servidores, a empresa vencedora decidiu colocar técnicos e especialistas em viagens em determinados pontos do itinerário para estudá-los devidamente. Dessa forma foi estabelecida a escala de paradas e o modo de feitura da viagem. Uma experiência foi feita neste sentido no início do mês passado, embora de caráter turístico, com onze dias de duração. Todos os fundamentos para conforto e comodidade dos passageiros destas viagens foram tomados, de modo a assegurar-se aos servidores públicos que viajarão por rodovia pleno conhecimento da rota que obedecerão. De acordo com o roteiro organizado pela empresa vencedora da concorrência e aprovado pelo Grupo de Trabalho de Brasília, o itinerário será feito por Minas Gerais, com passagem em Juiz de Fora e Belo Horizonte. Na capital mineira os servidores deverão jantar e dormir, aproveitado a manhã do dia seguinte para uma volta aos pontos pitorescos da cidade, incluindo-se a Pampulha. A seguir, rimarão para Paracatu, passando antes por Três Marias, onde poderão verificar o ritmo acelerado de construção daquela que será a quinta barragem do mundo dentro de poucos meses. Em Paracatu, os funcionários jantarão e dormirão, seguindo para Brasília, passando por Goiânia e Anápolis. Em vários pontos da viagem os servidores serão saudados pelos prefeitos das cidades do percurso e receberão homenagens das populações dos mesmos. Na nova capital brasileira, os funcionários serão recebidos pelo pessoal do Grupo de Trabalho, que os levará às suas futuras residências, de acordo com o programa já organizado.  

Partem rumo ao planalto central os primeiros funcionários públicos a fazerem o trajeto de mudança para a capital de ônibus (Foto: Arquivo Público do DF)