Linha do Tempo

Brasília, 13 de fevereiro de 1960

Caravana de Integração Nacional – A coluna Norte atinge a cidade de Curitiba, onde pernoita, após novo dia de viagem sem incidente, em perfeita ordem.

Arborização de Brasília – No Rio de Janeiro, visita o Ministério da Agricultura o senhor Vicente Ferrer Correia Lima, supervisor dos serviços agrícolas da Novacap, que informa à imprensa que, em Brasília, os serviços de arborização foram intensificados e que já se acham plantadas 18 mil mudas de essências, esperando-se que 32 mil já estejam plantadas até abril próximo. Esses plantios foram realizados na parte fronteira e no pátio interno do Palácio da Alvorada, nas áreas junto ao Hotel e anexas às escolas primárias, nas adjacências dos três trevos rodoviários e das passagens de nível. Foram usadas, principalmente, paineiras, mangabas, e cássias, havendo, em número menor, ‘flamboyants’, guapuruvas, etc.
Dez mil dessas mudas foram fornecidas pelo Ministério da Agricultura, através de Acordo Florestal com a Novacap e pelo Horto Florestal de Silvânia, sendo as demais ofertadas pelo Estado de Goiás e pela Prefeitura, das quais cerca de 200 na Praça dos Três Poderes.
Além das atividades, algumas centenas de hectares de tapetes verdes já foram plantados, em numerosos pontos de Brasília, principalmente nas áreas residenciais, junto aos Ministérios e na Praça dos Três Poderes, sendo empregadas em grande escala, as gramíneas “batatais e seda” (capim de burro do Nordeste).

Atividades escolares – No Rio de Janeiro, a Diretoria do Ensino Secundário, do Ministério da Educação e Cultura, comunica aos interessados que as aulas dos estabelecimentos de ensino secundário mantidos por particulares, em Brasília, começarão normalmente em março.
Apenas o Centro de Educação Média e o Centro de Educação Complementar obedecerão ao que determina a Portaria Ministerial no. 36, de 29 de janeiro de 1960, cujos termos são os seguintes:
“Fixa, para o corrente ano, a época especial para inicio e término do ano letivo e prestação de provas nas escolas mantidas pelo Ministério da Educação e Cultura em Brasília.
O Ministro de Estado da Educação e Cultura, de acordo com o que lhe faculta o disposto na Lei no. 57, de 6 de agosto de 1947, tendo em vista a mudança da Capital da República para Brasília no dia 21 de abril de 1960, e, em caráter excepcional, resolve:

Art. 1º – Fixar, para o corrente ano, em 16 de maio e 23 de dezembro, respectivamente, as datas para o inicio e o término das aulas nas escolas do Centro de Educação Média e do Centro de Educação Complementar de Brasília.
Art.2º – Será de férias escolares o período compreendido entre 28 de agosto e 11 de setembro.
Art.3º – As provas parciais e finais realizar-se-ão nos períodos de 22 a 27 de agosto e de 12 a 23 de dezembro”.

 

Lago de Brasília – Verificação realizada pelo Serviço Hidráulico da Novacap apura haver o lago artificial atingido a quota de 990,04 metros de água acima do nível do mar, faltando apenas 10 metros, portanto, para ser atingida a quota máxima, que é de mil metros. A 21 de abril próximo estarão faltando apenas 5 metros.

Supermercado – Divulga-se que até o fim de fevereiro deverão estar concluídas as obras do Supermercado “Unidade de Vizinhança” do Plano Piloto. A construção encontra-se em fase de pintura, presentemente sendo preparadas as instalações das câmaras frigoríficas e o ajustamento de esquadrias. O Supermercado terá duas câmaras frigoríficas e seu salão útil compreenderá uma área de 810 metros quadrados.

Rodovia de Goiás – O Engenheiro Abel de Carvalho, diretor-geral do D.E.R., de Goiás, declara à imprensa considerar simplesmente extraordinário o impulso que a rodovia Belém-Brasília deu ao desenvolvimento rodoviário goiano, tornando realidade o sonho das populações do “hinterland” do Estado: obtenção de meio de acesso a outras regiões do País. Através do D.E.R. o Governo de Goiás promove a ligação à estrada Belém-Brasília de pelo menos 16 municípios, a saber: Peixe, São Miguel do Araguaia, Porto Nacional, Cristalândia, Pium, Miracema, Tocantínia, Tupirama, Pedro Afonso, Filafélfia, Babaçulândia, Xambicá, Tocantinópolis, Nazaré e Araguatina. Algumas dessas ligações estão quase concluídas e é certo que todas estarão, ainda no corrente ano, abertas ao tráfego. Ressaltando a importância da Rodovia Bernardo Sayão, para o progresso econômico do Estado, diz por fim, o diretor do D.E.R. de Goiás, que essa estrada serve a 55 municípios goianos.

Televisão – A imprensa divulga que, por ocasião da mudança da Capital, Brasília terá sua primeira TV. Os trabalhos de fundação da base para a torre de televisão, que se localizará no Eixo Monumental, nas proximidades da estação rodoviária, já foram iniciados. A torre terá 275 metros de altura, incluídos nesse total os 70 metros da plataforma de concreto que sustentará a parte metálica.

Escola-Parque – Divulga-se a conclusão da construção da Escola-Parque destinada aos filhos dos residentes da Fundação da Casa Popular. De acordo com os planos estabelecidos, cada Unidade de Vizinhança terá um estabelecimento no gênero, ou seja, uma Escola-Parque, cuja finalidade é complementar as atividades das Escolas-Classes, cuidando do desenvolvimento artístico, físico e recreativo das crianças. A Escola-Parque dispõe de pavilhão de artes industriais, conjunto de atividades sociais (música, dança, teatro, exposição e clube), instalações para a prática de educação física, refeitório e administração. Em seu conjunto de edifícios, a Escola-Parque atenderá a dois mil alunos, divididos em dois turnos.

Senado Federal – Conclui-se nesta data o revestimento da cúpula do edifício do Senado Federal, feito à base de cimento branco, empregando-se processo especial, de quatro mãos de massa e acabamento a pistola de pressão, sendo gastos 4 quilos de massa em cada metro quadrado. A área da cúpula do Senado é de 1.500 quadrados e a da Câmara de 6 mil metros quadrados.


Foto: Carol Boclin

Trackback do seu site.

Deixe um comentário

Brasília, 12 de fevereiro de 1960

Confederação Nacional do Comércio – O senhor Charles Edgard Moritz, Presidente da Confederação Nacional do Comércio, determina a constituição, nessa entidade, de um grupo de ligação com Brasília, para prestar informações ao comércio sobre os assuntos de seu interesse relacionados com a Nova Capital. Entre vários problemas que preocupam o comércio, incluem-se a questão dos tributos que incidirão sobre as casas comerciais de Brasília, procedimento para obter alvará de localização, prescrições estabelecidas para a instalação de cada tipo de casa comercial, distribuição do comércio por zonas específicas, regime de propriedade dos bens imóveis, etc. Esse grupo de ligação será o núcleo da CNC e entrará em estreito contato com a administração do Município Federal para com ela colaborar no que respeita a assuntos de interesse do comercio em Brasília. Coordenará, ainda, a transferência do funcionalismo da CNC para a nova Capital, providenciando o necessário para a instalação dos servidores. Instituto Brasileiro do Sal – Entre as sugestões apresentadas pelo senhor Dioclécio Duarte, Presidente do Instituto Brasileiro do Sal, ao Conselho de Desenvolvimento do Nordeste, com relação ao aproveitamento da madeiras da Amazônia para o fabrico de celulose, produto que hoje constitui assunto de interesse econômico em todo o mundo, figura a parte relacionada com a utilização do sal no Planalto Central. Em sua tese. O Sr. Dioclécio Duarte afirma que existe uma verdadeira fome de celulose, agora, quando várias fontes demonstram nítidos sintomas de exaustão. Como exemplo de produtividade das nossas madeiras, cita o presidente do IBS o caso do nosso pinheiro, que ultrapassa o diâmetro de quarenta centímetros em apenas oito anos, enquanto árvores do mesmo produto, na Rússia, levam quarenta anos para chegar ao diâmetro de trinta centímetros. É lógico que o Brasil deverá preparar-se para ingressar, dentro de pouco tempo, no mercado internacional da celulose. Neste ponto é que surge o interesse do Instituto Brasileiro do Sal, dado que cada tonelada de celulose exige seiscentos e sessenta quilos de sal, que serão fornecidos pela nossa indústria, propiciando-lhe um novo horizonte no terreno financeiro, de modo a oferecer-lhe perspectivas novas quanto ao aprimoramento das técnicas científicas até agora aplicadas na obtenção do produto. Esta inovação viria trazer um novo elemento que já é motivo de estudo para os nossos técnicos: o preço, que baixará na certa com o aumento da produtividade à base de salinas mecanizadas e do uso de novos tipos de transportes, principalmente o rodoviário, surgindo como ponto capital a rodovia Belém-Brasília. Somente esta estrada será capaz, com seu itinerário, de diminuir o tempo e a distância do transporte do sal em mais de dois mil e quinhentos quilômetros, possibilitando às empresas a cobrança de tarifas menores. Ajardinamento de Brasília – A imprensa assinala que Brasília será como que um grande jardim em abril vindouro, pouco antes da mudança da sede do Governo Federal, graças ao andamento das obras neste sentido encetadas pelo Departamento Geral de Agricultura da Novacap. Os trabalhos estão sendo intensificados de modo a colocar todos os trevos, passagens de nível e viadutos completamente arborizados, o mesmo sucedendo nas encostas dos aterros das pistas já asfaltadas de várias vias de comunicação da nova Capital brasileira. Um verdadeiro batalhão de trabalhadores especializados nas tarefas de ajardinamento se ocupa, nos últimos dias, nesta tarefa que dará a esta cidade um aspecto mais interessante ainda, graças à simplicidade do traçado e à originalidade da arquitetura de Niemeyer. Para a feitura deste trabalho um ponto curioso deve ser assinalado: os técnicos estão procurando aproveitar ao máximo as árvores e plantas típicas de Planalto para o adorno da cidade. Todas as árvores de conformação exótica, que possam constituir, a partir da mudança da Capital, atrativos turísticos, serão conservadas e terão indicações especiais. Troncos grossos assemelhando-se na forma a animais e galhos retorcidos ficarão intatos, de acordo com o estabelecido no trabalho de ajardinamento da cidade. Caravana de Integração Nacional – A coluna Norte, em sua rota para Porto Alegre, atinge a cidade de Capão Bonito, onde pernoita.  

No trabalho de ajardinamento do projeto de Lucio Costa, a ideia é manter o cerrado em destaque, abrindo espaço para que a diversidade de árvores e plantas típicas do planalto deixe-se mostrar. Na imagem, vista de blocos residenciais construídos à época da inauguração (Foto: Arquivo Público do DF)