Alvorada

Escrito por Brasília Poética em . Postado em Poemas para Brasília Sem Comentários

"As colunas do Alvorada são o elemento arquitetônico mais importante
desde as colunas gregas"
André Malreaux

Fantasmas no Alvorada
Por Clemente Luz

Sou mais do que um enamorado de Brasília. E muito mais do que isso, eu sou do Palácio da Alvorada, que visito, com prazer, quantas vezes posso. E cada vez que penetro aquela imensa e majestosa cortina de vidro, que nos separa de um mundo estranho e perfeito de formas e de cores, eu faço novas descobertas, como o menino que penetra o bosque, que ele julga encantado e que, de repente, descobre que é encantado mesmo.

 

Brasília
Por Gilberto Freyre

"…ninguém sabe mais separar, nem dentro nem fora do país, a figura ainda jovem e, por causa de Brasília, já histórica, do Presidente da República que deu início a tal arrojo. Estivesse fracassando em tudo o mais que tem procurado realizar o Presidente Juscelino Kubitschek, e Brasília, sozinha, lhe garantiria uma projeção sobre o futuro brasileiro, capaz de lhe resgatar o nome dos erros, mesmo grandes, de administrador e de o purificar de pecados, mesmo capitais, de político.

 

LEIA TAMBÉM

UMA MANHÃ
EM APIPUCOS

Por Conceição Freitas



Trackback do seu site.

Deixe um comentário


Leia também:

A passagem de Tom Jobim e Vinícius de Moraes pelo Catetinho

O texto de Antônio Carlos Jobim Setembro, sertão no estio. Frio seco. Altitude aproximada: 1.200 metros. Ar transparente, céu azul profundo, primavera e pássaros se namorando. Campos gerais, chapadões dos gerais. Cerrado e estirões de mata à beira dos rios.…

Alvorada de Espelhos

Alvorada de Espelhos Por Clemente Luz O imenso louva-a-deus traçado no papel, antes promessa da presença da cidade, já tem forma e base sólida no chão do planalto. No local mesmo onde a visão do profeta viu “que se formava…

Bernardo Sayão

Da morte emerges, Bernardo Sayão, e com que pureza! Assim te revemos, os que nunca te vimos, e não há em nós nenhuma surpresa. Assim te revemos, sertanejo tranqüilo, no retrato que te faz surgir num descampado, o olhar firme, …