30 de agosto de 1957

Escrito por Brasília Poética em . Postado em O dia-a-dia da Construção Sem Comentários

Realiza-se o vôo inaugural da linha Rio-Belo Horizonte-Brasília do Consórcio Real Aerovias.

Nesta data, a chamada cidade bandeirante de Brasília conta com 300 casas de madeira, 11 hotéis, farmácias, comércio atacadista e varejista, 5 bancos, agências de passagens, restaurantes, churrascarias, cinema, etc – fruto de sete meses de atividade.


Classes produtoras – Aproximadamente trezentos representantes da indústria, do comércio e da agricultura encontram-se, em Brasília, com o Presidente Juscelino Kubitschek, para uma verificação do trabalho que o Governo federal vem realizando na área da futura capital. Do grupo fazem parte os corpos diretores das Confederações Nacionais e representantes de homens de indústria e comércio de todos os Estados, além de líderes ruralistas.

Às 10 horas, no escritório na Novacap, realiza-se o encontro dos visitantes com o Presidente da República. O Presidente da Novacap faz uma explanação sucinta da evolução da idéia da mudança da Capital, detendo-se na exposição do Plano-Piloto do arquiteto Lúcio Costa e exibindo mapas e plantas. Os representantes das classes produtoras formulam, então, perguntas que são esclarecidas pelo Senhor Israel Pinheiro. Quem construirá Brasília, diz, é a iniciativa privada; a Novacp apenas urbanizará, fiscalizará a construção. Os prédios públicos que a Novacap vai construir em Brasília não ultrapassarão 5% do total das construções. Os lotes residenciais serão vendidos na base de Cr$ 100 mil a Cr$ 200 mil cada um.

 


Trackback do seu site.

Tags:

Deixe um comentário


Leia também:

A passagem de Tom Jobim e Vinícius de Moraes pelo Catetinho

O texto de Antônio Carlos Jobim Setembro, sertão no estio. Frio seco. Altitude aproximada: 1.200 metros. Ar transparente, céu azul profundo, primavera e pássaros se namorando. Campos gerais, chapadões dos gerais. Cerrado e estirões de mata à beira dos rios.…

Alvorada de Espelhos

Alvorada de Espelhos Por Clemente Luz O imenso louva-a-deus traçado no papel, antes promessa da presença da cidade, já tem forma e base sólida no chão do planalto. No local mesmo onde a visão do profeta viu “que se formava…

Bernardo Sayão

Da morte emerges, Bernardo Sayão, e com que pureza! Assim te revemos, os que nunca te vimos, e não há em nós nenhuma surpresa. Assim te revemos, sertanejo tranqüilo, no retrato que te faz surgir num descampado, o olhar firme, …