26 de junho de 1957

Escrito por Brasília Poética em . Postado em O dia-a-dia da Construção Sem Comentários

O Senhor Íris Meinberg, Diretor Financeiro da Novacap, informa à imprensa que estão tendo franca e surpreendente ceitação as Obrigações Brasília, correspondentes ao lançamento de um empréstimo com garantia do Governo Federal para antecipação da receita para a construção da nova Capital. É grande o movimento de colocação dos títulos em todo o país. Além disso, organizações que virão estabelecer-se em Brasília, tais como Institutos, estabelecimentos bancários e outros, são subscritores compulsórios desses títulos. Somente a parte dos Institutos representa mais de Cr$ 300.000.000,00;

Entrevista do arquiteto Oscar Niemeyer a propósito da encomenda de estruturas metálicas a firmas estrangeiras:
"A encomenda de estruturas metálicas no estrangeiro, pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil, visa a dois objetivos principais: economia e tempo. Pelo contrato efetuado, as estruturas serão entregues em tempo recorde, e seu custo será muito inferior ao do mercado corrente. Por outro lado, Volta Redonda, que está executando uma encomenda também de estruturas para Brasília, não poderia desincumbir-se de mais este pedido, sem prejuízo para o seu programa de produção."

(Diário de Brasília)

 


Trackback do seu site.

Deixe um comentário


Leia também:

A passagem de Tom Jobim e Vinícius de Moraes pelo Catetinho

O texto de Antônio Carlos Jobim Setembro, sertão no estio. Frio seco. Altitude aproximada: 1.200 metros. Ar transparente, céu azul profundo, primavera e pássaros se namorando. Campos gerais, chapadões dos gerais. Cerrado e estirões de mata à beira dos rios.…

Alvorada de Espelhos

Alvorada de Espelhos Por Clemente Luz O imenso louva-a-deus traçado no papel, antes promessa da presença da cidade, já tem forma e base sólida no chão do planalto. No local mesmo onde a visão do profeta viu “que se formava…

Bernardo Sayão

Da morte emerges, Bernardo Sayão, e com que pureza! Assim te revemos, os que nunca te vimos, e não há em nós nenhuma surpresa. Assim te revemos, sertanejo tranqüilo, no retrato que te faz surgir num descampado, o olhar firme, …