20 de setembro de 1957

Escrito por Brasília Poética em . Postado em O dia-a-dia da Construção Sem Comentários

O Brasil recebe do Banco de Exportação e Importação dos Estados Unidos (Export & Import Bank), de Washington, a soma inicial de US$ 10 milhões para financiamento da compra de estruturas de aço para os edifícios de Brasília.
Falando na cerimônia que se realiza na Embaixada do Brasil em Washington, diz o Embaixador Ernani do Amaral Peixoto:
"O aço que será usado na estrutura projetada para a nova Capital pode ser considerado, em si mesmo, um símbolo da força das tradicionais relações entre nossos dois países. No aço da Usina de Volta Redonda, como no aço destinado a Brasília, vemos um símbolo da cooperação norte-americana-brasileira no quadro das realidades do século XX. Brasília será uma obra de pioneiros. É o início de uma realidade futura e é justo que os Estados Unidos estejam associados conosco nessa empresa do futuro, como tem estado no passado. Estou certo de que meus compatriotas apreciam a colaboração das autoridades norte-americanas."
(Diário de Brasília)

 


Trackback do seu site.

Deixe um comentário


Leia também:

A passagem de Tom Jobim e Vinícius de Moraes pelo Catetinho

O texto de Antônio Carlos Jobim Setembro, sertão no estio. Frio seco. Altitude aproximada: 1.200 metros. Ar transparente, céu azul profundo, primavera e pássaros se namorando. Campos gerais, chapadões dos gerais. Cerrado e estirões de mata à beira dos rios.…

Alvorada de Espelhos

Alvorada de Espelhos Por Clemente Luz O imenso louva-a-deus traçado no papel, antes promessa da presença da cidade, já tem forma e base sólida no chão do planalto. No local mesmo onde a visão do profeta viu “que se formava…

Bernardo Sayão

Da morte emerges, Bernardo Sayão, e com que pureza! Assim te revemos, os que nunca te vimos, e não há em nós nenhuma surpresa. Assim te revemos, sertanejo tranqüilo, no retrato que te faz surgir num descampado, o olhar firme, …